0 Comentários
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn
Por: /

Entenda a importância do cálculo de depreciação

Em uma empresa, conforme o tempo passa, os bens envelhecem e precisam ser trocados por novos, que deem mais retorno financeiro. Assim sendo, é justamente por meio do cálculo de depreciação que é possível saber por quanto tempo um ativo (um bem ou um direito da empresa) será útil para o desenvolvimento da companhia.

Esse conhecimento garante vantagens, como o aprimoramento da transparência do patrimônio da instituição, e maximiza a produção. Mais do que isso: é uma ferramenta essencial para tornar as decisões mais produtivas visando ao crescimento do negócio.

Neste artigo, apresentamos uma série de conceitos para ajudar você a entender a importância de fazer um cálculo de depreciação eficiente.

Qual é o conceito de depreciação?

A depreciação é um modo de se contabilizar a diminuição do valor de um bem decorrente de seu desgaste ou da sua perda de utilidade, seja por uso constante, ação da natureza (como envelhecimento do material) ou obsolescência normal (tornou-se ultrapassado).

Trata-se de um percentual que é subtraído mensal ou anualmente do valor de um bem conforme o tempo passa, causando a desvalorização do ativo. Cada objeto possui uma taxa de depreciação que deve ser seguida. Alguns exemplos são:

  •  imóveis — 4% ao ano, com vida útil de 25 anos;
  •  máquinas, equipamentos e instalações — 10% ao ano, com vida útil de 10 anos;
  •  veículos — 20% anualmente, com vida útil de 5 anos;
  •  móveis — taxa anual de 10%, com vida útil de 10%.

Diferença de exaustão e de amortização

Para evitar qualquer confusão, é importante distinguir o conceito de depreciação de exaustão e de amortização. Em termos gerais, o primeiro é a redução do valor de bens decorrente da exploração de recursos naturais esgotáveis, como florestas, reservas de petróleo, minérios, etc.

Já a amortização diz respeito à duração limitada dos ativos intangíveis, como softwares, direitos autorais, marcas, entre outros. O valor é diminuído pelo prazo legal ou contratualmente estipulado para o uso de tais ativos.

Vida útil

A taxa de depreciação é calculada de acordo com a vida útil de um bem, que consiste em uma expectativa de prazo no qual o ativo gerará benefícios econômicos à entidade. Por exemplo: uma máquina de embalar gera receita por 10 anos, logo, esse período consiste em sua vida útil.

Essa vida útil pode ser considerada de duas formas:

  •  o período de tempo em que a empresa usará o ativo, que será determinado em anos;
  •  número de ativos produzidos pelo bem. Por exemplo: a vida útil de um equipamento acaba depois de produzir 70 mil unidades de um produto.

Há necessidade de compartilhar essas informações?

Na prática, é fundamental que essas informações sejam compartilhadas entre os setores de uma companhia. Assim, o setor contábil terá precisão no cálculo da vida útil dos ativos e suas respectivas taxas de depreciação.

Se o dado for acessado pelo setor administrativo e financeiro, os colaboradores e controladores saberão quando será preciso atualizar ou trocar seus ativos, reservarão capital suficiente para isso e entenderão o motivo para fazê-lo. Isso garantirá uma melhor gestão da empresa, possibilitando:

  •  evitar prejuízos com desgaste de ativos, pois os bens não continuarão operando devidamente após sua vida útil;
  •  ao administrador, não ser surpreendido com gastos inesperados para trocar equipamentos;
  •  tomadas de medidas para aumentar a vida útil dos ativos;
  •  saber quando será mais lucrativo modernizar o estabelecimento, pois a depreciação considera a obsolescência dos bens.

um homem usa a calculadora retratando a importância do cálculo de depreciação

Como o cálculo de depreciação deve constar nos relatórios?

Nos relatórios devem constar todos os elementos relevantes para saber a alteração do valor dos ativos ao longo dos anos. A seguir, por meio de um exemplo, confira quais são eles:

  •  valor do bem — uma edificação de R$ 100 mil;
  •  taxa anual de depreciação — 4%;
  •  valor da depreciação no ano — R$ 100 mil x 4% = R$ 4 mil;
  •  valor da depreciação mensal — R$ 4 mil / 12 = R$ 300;
  •  vida útil estimada do bem — 25 anos.

O cálculo de depreciação assegura um controle mais eficaz dos ativos da companhia. A partir dessa informação, sua empresa usufruirá o máximo de um bem até o momento em que ele deve ser substituído ou atualizado.

Entendeu melhor por que fazer o cálculo de depreciação dos ativos da sua empresa? Se quiser saber mais, assine a nossa newsletter e receba conteúdos relevantes como este diretamente no seu e-mail!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.